MOBILIZAÇÃO NEURAL

 

A Mobilização Neural visa minimizar e ou anular a dor causada por uma disfunção em um nervo periférico. É comum na apresentação clínica da disfunção de nervos periféricos a dor em Membros Superiores e Inferiores.  Essa dor pode ser descrita de diferentes formas: “formigamento”, “choque”, “dormência”, diminuição de sensibilidade, “queimação”; sendo descrita sempre no trajeto do nervo periférico envolvido.

O tratamento com mobilização neural tem como objetivo tirar a dor e o desconforto do paciente, agindo sobre a causa da dor, seja ela por inflamação ou por compressão do nervo periférico, assim como restabelecer o fluxo sanguíneo intra neural, possibilitar o bom deslizamento do nervo dentro do canal neural, melhorar a condução do nervo.

O tratamento de Mobilização Neural é indicado ainda para pessoas com comprometimento do nervo ciático (com ou sem hérnia de disco), LER.

Atua na raiz e no trajeto nervoso liberando-o de qualquer bloqueio (compressão ou aderência) e desta forma eliminando a dor localizada e/ou irradiada como, por exemplo, lombociatalgias e cervicobraquialgias. Também aplicado em LER / DORT e de forma preventiva em possíveis casos de disfunções de ordem neurogênica.

 

Nervos

O sistema nervoso periférico

 

O sistema nervoso periférico é composto por todos os nervos que estão fora do sistema nervoso central (cérebro e medula espinhal). Fazem parte do sistema nervoso periférico os nervos cranianos que conectam a cabeça e a face diretamente ao cérebro, os nervos que conectam os olhos e o nariz ao cérebro e todos os nervos que conectam a medula espinhal ao restante do corpo. O cérebro comunica-se com a maior parte do corpo através dos 31 pares de nervos espinhais que emergem da medula espinhal. Cada par de nervos espinhais inclui um nervo na parte anterior da medula espinhal, o qual transmite informações do cérebro aos músculos, e um nervo na parte posterior da medula, o qual transmite informações sensitivas ao cérebro. Os nervos espinhais conectam-se entre si através de plexos localizados no pescoço, no ombro e na pelve e, em seguida, dividem-se novamente para inervar as partes mais distantes do corpo.

 

Circuito Músculo-Cérebro

Os nervos estão conectados e comunicam seus sinais através de sinapses. O movimento de um músculo envolve duas vias nervosas complexas: a via nervosa sensitiva até o cérebro e a via nervosa motora até o músculo. Esse circuito é composto por doze etapas básicas, as quais são indicadas a seguir.

Os receptores sensitivos da pele detectam as sensações e transmitem um sinal ao cérebro.

Sinal é transmitido ao longo de um nervo sensitivo até a medula espinhal.

Uma sinapse na medula espinhal conecta o nervo sensitivo a um nervo da medula espinhal.

O nervo cruza para o lado oposto da medula espinhal.

O sinal é transmitido e ascende pela medula espinhal.

Uma sinapse no tálamo conecta a medula espinhal às fibras nervosas que transmitem o sinal até o córtex sensitivo.

O córtex sensitivo detecta o sinal e faz com que o córtex motor gere um sinal de movimento.

O nervo que transmite o sinal cruza para o outro lado, na base do cérebro.

O sinal é transmitido para baixo pela medula espinhal.

Uma sinapse conecta a medula espinhal a um nervo motor.

O sinal prossegue ao longo do nervo motor.

O sinal atinge a placa motora, onde ele estimula o movimento muscular.

Clínica Ânima - Rua Ricardo Pedro Goularte 206, bairro Santa Mônica - Florianópolis - SC  Telefone: (48) 3304 6503 - ana@anafisiopilates.com.br